"The Old Rugged Cross " de Marty Hamby - Coro e Orquestra

..

INTRODUÇÃO

...

Por quê? - É uma boa pergunta...

Devo dizer que, no início, a criação da Série “A loucura da Cruz”, teve um objetivo unicamente pessoal: a minha procura por Deus ou pela Verdade. Mas, como assim?! Tentarei explicar. Mas, antes disso, é importante deixar bem claro que não se tratará de uma discussão sobre religião e que eu não estou ligado a qualquer denominação religiosa, uma vez que abandonei a religião há muito tempo.

Vamos à explicação. Fui criado numa família em que minha mãe era Batista, praticante, e o meu pai Católico, não praticante. Assim, na infância, eu e meus irmãos fomos criados frequentando uma Igreja Batista. Este foi o meu primeiro contato com a ideia de Deus.

Há décadas que deixei de frequentar a igreja, mas, a semente da ideia de Deus já fora plantada na infância. Nos anos que se seguiram, e até hoje, passei por fases em que, ora acreditava e, ora em que não acreditava em Deus – e, em cada fase, foi com plena convicção!(?)
O tempo foi passando e, durante minhas experiências na vida ao meu redor, e principalmente na minha formação acadêmica, tornava-me mais e mais racional. Mesmo hoje, continuo a pensar que, racionalmente, é impossível crer!

Mas, se por um lado isto acontecia, por outro, nunca pude me desvencilhar daquela ideia da existência de um Deus; ela nunca me abandonou verdadeiramente. Até hoje, já com sete décadas vividas, ela ainda teima em me acompanhar.

Como disse no início, meu objetivo ao criar esta Série continua sendo pessoal, porém, aos poucos, passei a acreditar não ser possível que eu seja o único ser humano a passar por esta situação e que, talvez, existam outras pessoas que passem por situações semelhantes. Assim, se isto é verdade, por que não compartilhar esta minha experiência e obter dela um ganho pessoal? Sei que, durante o desenrolar dos episódios da Série, vou expor-me completamente e corro o risco de ser rotulado como “religioso”. Porém, a minha necessidade de encontrar uma resposta é tão intensa, que vale à pena correr este terrível risco. Digo isto, em virtude do Cristianismo ter sido deturpado tanto, desde sua origem até os dias de hoje, que não pode mais ser considerado verdadeiro; tornou-se um corpo de doutrinas humanas, demasiadamente humanas.

Assim, esta Série continua com o mesmo objetivo, porém, é apenas um instrumento a mais, nesta minha incessante busca pessoal. Espero poder partilhar com todos esta minha louca procura. E, quem sabe, talvez um dia, este compartilhamento me ajude a encontrá-lo verdadeiramente, apesar de achar que este encontro seja pessoal e intransferível.

Assim, para começar, criarei um Grupo com o nome de “A Loucura da Cruz”. Penso que não devo convidar meus amigos para dele participar, pois, posso ser mal compreendido. Assim a adesão ao Grupo deve ficar à vontade de cada um.

Por último, deixo bem claro que este é um Grupo em que todos aqueles que quiserem poderão participar, ou seja, aqueles que ainda estão à procura, os que já o encontraram, os que já desistiram e não mais procuram. Gostaria muito que todos participassem expondo seus pontos de vista, seus modos de ver, pois, somente assim, talvez, é que poderemos – eu, principalmente - chegar a algum lugar.
A referência bibliográfica é a segunda edição, revista e atualizada da Bíblia, com tradução em português, feita por João Ferreira de Almeida, pela Sociedade Bíblica do Brasil, ano de 2008.

Inicialmente, “A Loucura da Cruz”, ou o estudo sobre a Vida de Jesus, terá como referência básica – mas não somente – o que nos é narrado no Evangelho de Lucas. As pessoas interessadas em participar das discussões, sobre esta “Loucura”, encontrarão abaixo o link, com o endereço do Grupo na Descrição deste Vídeo Introdutório.
E, tendo em vista a seriedade do tema, é que eu tenho a certeza de que o relacionamento entre os Participantes do Grupo será prazerosamente pautado pela cortesia e pelo bom senso que esta “loucura” merece.

Todos são bem-vindos!

Finalizo esta Introdução, citando o poema em prosa "Desiderata”, do escritor norte-americano Max Ehrmann, escrito em 1927:

“Transite com calma entre a bulha e a pressa, e não se recuse a paz do silêncio.
“Sem sacrificar os seus princípios, seja cordial com todos. Mostre sereno e calmo a sua verdade. E escute a dos outros, mesmo a dos pobres de espírito, eles também têm o que dizer.
“Evite os barulhentos e os agressivos, eles constrangem o espírito. Comparando-se com os outros, evite a vaidade e a mágoa, pois sempre haverá gente abaixo e acima de você.
“Goze as suas vitórias como os seus projetos. Não despreze a sua carreira, por mais humilde que seja, ela será um bem, nas incertezas do amanhã. Proceda com cautela nos contratos de comércio, pois o mundo está cheio de raposas. Mas que a cautela não o cegue para a virtude. Existe idealismo também, e não falta heroísmo no mundo.
“Seja fiel a si mesmo. Acima de tudo, nunca finja afeição. Jamais seja cínico em amor, pois mesmo com o risco de aridez e desencanto, ele é perene como a grama.
“Aceite de bom grado as ponderações da idade, não se apegue aos bens da juventude. Exercite a fortaleza de ânimo para se garantir nos desastres súbitos. Mas não se deixe transportar pela imaginação. Muitos receios nascem do cansaço e da solidão.
“Adote uma disciplina saudável, mas não se esgote por ela. Você é filho do Universo, como as árvores e as estrelas, e tem o direito de estar aqui! E quer você queira quer não, o universo se expande como deve.
“Esteja, pois, em paz com Deus, com o seu Deus, e sejam quais forem as suas lutas e os seus ideais viva em paz com a sua alma, mesmo no fragor das batalhas.
“Malgrado as imposturas, as durezas e as decepções, o mundo ainda é belo. Tenha cuidado. Procure ser feliz.”

 

Max Ehrmann

 

"The Old Rugged Cross " de Marty Hamby - Coro e Orquestra
Rude cruz se erigiu,
Dela o dia fugiu,
Como emblema de vergonha e dor
Mas contemplo esta cruz
Porque nela Jesus
Deu a vida por mim pecador
.
Sim eu amo a mensagem da cruz
Até morrer eu a vou proclamar
Levarei eu também minha cruz
Até por uma coroa trocar
.
Desde a glória dos céus
O cordeiro de Deus,
Ao calvário humilhante baixou
Essa cruz tem pra mim
Atrativos sem fim,
Porque nela Jesus me salvou
.
Sim eu amo a mensagem da cruz
Até morrer eu a vou proclamar
Levarei eu também minha cruz
Até por uma coroa trocar
.
Nesta cruz padeceu
E por mim já morreu,
Meu Jesus para dar-me o perdão
Eu me alegro na cruz,
(Na cruz) dela vem graça e luz
Pra minha santificação
.
Sim eu amo (sim eu amo) a mensagem da cruz (mensagem da cruz)
Até morrer eu a vou proclamar
Levarei eu...

foxyform